Um novo jeito de proteger seu carro

Cotar Agora
Dicas

Lei do cinto de segurança completa 23 anos, saiba a importância!

Por PROAUTO

Hoje, dia 23/09, a lei que torna o uso do cinto de segurança obrigatório comemora 23 anos. Esse dispositivo é o principal instrumento de proteção para evitar ferimentos mais graves em colisões e vítimas fatais em acidentes. Por isso, é fundamental que o motorista e todos os ocupantes do veículo utilizem o cinto de segurança.   As estatísticas mostram que passageiros que usam corretamente o cinto de segurança têm menos risco de sofrerem lesões graves e mais chances de sobreviverem a um acidente. De acordo com dados da Pesquisa Nacional de Saúde do IBGE, 24% das pessoas admitem não usar o cinto no banco traseiro. Já o levantamento realizado pela Agência de Transporte do Estado de São Paulo (ARTESP) sobre o uso do cinto de segurança nas rodovias revelou também que 70% das vítimas de acidentes morreram sem o item. Ainda segundo o estudo, 53% dos passageiros que viajam no banco traseiro, 15% dos passageiros no banco dianteiro e 13% dos motoristas não usam cinto de segurança. Por que usar o cinto?
  •  Garante uma posição correta e estável de dirigir;
  • Diminui a fadiga e as chances do envolvimento em um acidente;
  • Reduz a possibilidade de perda da consciência em um acidente, o que poderia inviabilizar a rápida saída dos ocupantes do veículo;
  • Evita que as pessoas sejam lançadas para fora do veículo no caso de colisão;
  • Minimiza os choques dos ocupantes contra o interior do veículo, ou entre si;
  Outras dicas importantes Mesmo o adulto utilizando o cinto, em hipótese alguma leve crianças no colo, há o risco de prensá-las contra o banco ou painel no caso de colisão. A forma mais segura de se transportar uma criança é no banco de trás, usando cinto de segurança ou com um dispositivo de retenção infantil, dependendo de sua idade, peso e altura. Penalidades Segundo o artigo 167 do Código Brasileiro de Trânsito (CTB), dirigir sem utilizar o cinto de segurança é considerado infração grave, com multa no valor de R$ 195,23 e cinco pontos na CNH. A penalidade pode ficar ainda mais séria se for uma criança sem a utilização do equipamento de segurança, passando a ser considerada infração gravíssima com multa de R$ 293,27 e sete pontos na carteira.