Quem compara, fecha com a PROAUTO

Cotar Agora
Curiosidades Na Mídia Notícias

Mulheres revolucionárias no setor automobilístico

Por PROAUTO

Em comemoração ao Dia das Mulheres, a PROAUTO preparou um post importante destacando mulheres que contribuíram, e ainda contribuem para o desenvolvimento e avanço do setor automobilístico. Desde a invenção de acessórios de segurança, passando pelo design interior e exterior, até proezas nas pistas de corrida.  

Mulher inventora das setas e a luz de freio

A canadense, Florence Lawrence, nascida em 1886, é considerada a “primeira estrela do universo cinematográfico” e desfrutou de sua carreira na década de 1910. O que muitos não sabem é que ela, foi a inventora das luzes de seta e de freio dos automóveis. É isso, mesmo!   Florence desenvolveu uma dupla de bandeirinhas para serem fixadas atrás dos para-lamas. Quando era ativada por botões elétricos na cabine, uma bandeirinha se levantava indicando a direção da curva a ser feita. Na traseira, uma placa com a palavra “Stop” (pare) era acionada automaticamente quando se pisava no pedal do freio. Até então, na época os motoristas faziam gestos com os braços pelas janelas para indicar que iriam fazer uma curva.

Mulher que inventou os limpadores de para-brisa

Mary Anderson visitou Nova York durante o inverno de 1902, e saindo para dar uma volta de bonde, ficou impressionada pela forma como o clima interferia no trânsito. Ela desenhou em seu caderno, um projeto que consistia em um limpador parecido com um rodo do lado de fora do vidro do bonde e com uma manivela do lado de dentro da cabine, segundo informações do News York Times.   Ela patenteou a invenção no ano seguinte, mas naquela época poucas pessoas tinham carros. Quando os limpadores de para-brisa se tornaram populares para os automóveis, surgiram outras patentes semelhantes que acabaram por tomar o lugar daquela de Mary Anderson. Mas, até hoje o funcionamento do dispositivo é basicamente o mesmo pensado por ela, no início do século passado.

Primeira mulher que atravessou os Estados Unidos dirigindo

Alice Ramsey foi a primeira mulher a entrar para o Hall da Fama Automotivo, em 2000, por ser a primeira mulher que atravessou os Estados Unidos dirigindo. Ela executou a façanha em 1909 junto com três amigas, e foi a única que conduziu o veículo, um Maxwell 30. Na época, Alice tinha 22 anos.   A jornada demorou 41 dias, nos quais Alice gastou 11 pneus para percorrer os 6.115 quilômetros entre Nova York e São Francisco, na Califórnia. A viagem envolveu trechos desafiadores de estradas, temporais, pneus furados, problemas mecânicos, encontros com tribos de índios e com um grupo de homens em cavalos que perseguiam um assassino, história que ela mesma contou em seu livro, “Veil, Duster and Tire Iron”, em tradução, “Véu, avental e chave de pneu”.

Uma lenda nas pistas

Foi a competição nacional Top Fuel da NHRA, nos Estados Unidos, que concretizou a ascensão de Shirley Muldowney como campeã. Em 1977, ela ganhou sua primeira prova na categoria. O feito foi considerado tão incrível que Shirley recebeu reconhecimento oficial por parte da Câmara dos Representantes Norte-Americana. Três anos depois, ela se tornou a primeira pessoa do mundo a conquistar o título no Top Fuel duas vezes.   Já em 1982, ela repetiu o feito levantando o troféu pela terceira vez. No total, Shirley Muldowney venceu 18 eventos da NHRA nos Estados Unidos, figurando na 5ª posição entre os 50 melhores pilotos da lista oficial da federação. Hoje é considerada uma lenda das pistas.   O Top Fuel é uma das categorias de drag race, um piloto pode alcançar 539 km/h, percorrendo a distância oficial de 305 metros em menos de quatro segundos, duração média da prova.

Mulher por trás do designer do Honda NSX

Michelle Christensen foi a primeira mulher a trabalhar com design exterior na Acura, divisão de luxo da Honda e ela fez história por lá. Entre os produtos que desenvolveu com a japonesa está a segunda geração do esportivo NSX, lançada em 2015 nos Estados Unidos, projeto do qual foi a líder. Conhecido no resto do mundo como Honda NSX, o “New Sportscar Experimental” foi originalmente lançado na década de 1990, logo se tornando uma lenda. E sabe quem ajudou a desenvolver o modelo? Ayrton Senna. Apresentado no Salão de Chicago, em 1989.   A Honda, contudo, encontrou um desafio quando decidiu produzir a segunda geração do mítico NSX. Mas, Michelle Christensen era a pessoa certa para o trabalho. O lançamento foi um sucesso de público e crítica na esteira de seu antecessor.

Mulher na coordenação do time de design da Nissan

Diane Allen é diretora sênior de design na divisão da Nissan em San Diego, nos Estados Unidos, e coordenou o design exterior de diversos modelos da marca. Ela trabalha com design na companhia desde 1984, e já recebeu diversos prêmios por seu trabalho, incluindo o Gold Award for Industrial Design Excellence.   Ela também esteve por trás da primeira picape Titan que a Nissan desenvolveu para o mercado norte-americano e também da última geração dela, quando o núcleo que coordena venceu a competição contra um grupo da divisão japonesa da companhia. Ela também é detentora de diversas patentes para dispositivos que desenvolveu durante sua carreira com o design automotivo.

Mulher designer chefe dos interiores da Volvo

Tisha Johnson foi a responsável por desenvolver o interior da cabine dos modelos S90 e V90, da Volvo. Ela coordenou o projeto desde o espaço para os joelhos dos ocupantes nos assentos traseiros, passando pelo suporte ergonômico, até o teto solar panorâmico.   Um dos desafios do trabalho de Tisha é unir a forma à função. Ela também supervisiona projetos conceito na Volvo, entre eles, um assento infantil que faz giros de 360 graus, um lounge para passageiros e um sistema de display digital intuitivo para os painéis da marca.

Mulher designer exterior da Fiat Chrysler Automobiles

Irina Zavatski desenvolveu o design exterior da nova minivan Chrysler Pacifica desde os primeiros esboços do projeto até o lançamento em 2016, em substituição ao Town & Country.   Como ela revelou na época, sua missão era “fazer a minivan ser legal de novo”. Segundo Irina a experiência foi inédita em sua carreira devido à grande liberdade que teve em determinar a direção do projeto. E ela venceu o desafio, pois o estilo e desenho da minivan foram alvo de muitos elogios. Hoje, Irina atua como gerente de design exterior na Jeep, outra marca do grupo FCA.